Unificação: O Blog do Lucas Cardozo e o Críticas do Lucas Cardozo agora são um só.

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Os acontecimentos mais marcantes no k-pop em 2014



Preparei uma lista registrando alguns dos acontecimentos mais marcantes do ano de 2014 no mundo do k-pop. A lista está ordenada por mês e dia (se algum acontecimento for longo, estará escrito no respectivo dia que ocorreu, "em partes"). Lembrando que as datas podem não ser exatas, já que alguns acontecimentos vieram se acumulando até acontecer algo maior que levou a "explosão". Segue:

Abril

- 16: A balsa Sewol, que transportava mais de 400 passageiros, a maioria estudantes, naufragou após uma tentativa brusca de desvio. O peso da carga acabou fazendo com que a balsa virasse, matando mais da metade dos passageiros. A tragédia posteriormente se envolveu em polêmicas, com pais de alunos alegando que a mídia estava falsificando informações e a verdade sendo escondida de todos. O que influenciou no k-pop? Imobilizados, diversos programas de tv foram suspensos e promoções de grupos canceladas ou adiadas. Talvez o caso mais famoso seja do Block B, na época da música Jackpot, que acabou tendo as apresentações "canceladas" e o grupo voltou tempo depois com Her. O líder Zico foi ao funeral das vítimas ao saber que muitos eram fãs do grupo. Diversos artistas prestaram condolências e homenagens as vítimas, inclusive músicas foram compostas para essa ocasião.

Maio

- 08: g.o.d, um dos precursores do k-pop, retornou após 9 anos parados, com o single The Lone Duckling. O grupo surgiu em 1999.

- 14: Kris, líder do EXO-M, decidiu processar sua agência, SM. Não foram revelados muitos detalhes e o caso continua.

- 19: A dupla Fly to the Sky retornou com o clipe You You You após 5 anos sem lançamentos. A dupla de r&b e hip-hop começou em 1999.

Julho

- 01: Park Bom, integrante do 2ne1, foi acusada de contrabando de medicamentos proibidos na Coreia do Sul. O presidente da YG alegou que os medicamentos eram de uso controlado e permitidos nos Estados Unidos, que era onde ela havia começado a tomar tais remédios depois de um acontecimento traumático, que foi a morte de uma amiga durante uma partida de futebol (inclusive, e acordo bom a Bom, esse foi um dos fatores dela ter ido para a Coreia do Sul se tornar cantora, já que antes ela queria ser jogadora de futebol mas acabou desistindo após o trauma). Em 2010 os medicamentos foram descobertos mas o caso não prosseguiu. Nesse ano, o caso voltou a tona. Park Bom supostamente não sabia que os tais remédios que ela tomava eram proibidos na Coreia do Sul. No mesmo dia saíram provas de que todo o caso era real e Park Bom foi inocentada, mas os comentários se prolongaram durante um bom tempo.

- 03: Seo Taiji, outro cantor famoso que ficou anos sem músicas novas, voltou causando polêmica. Sua estreia iniciaria com uma música feita para a parceira com a cantora IU, intitulada SOGYEOKDONG, porém a música foi logo acusada de plágio. O caso não foi adiante. Ele também lançou uma versão própria de SOGYEOKDONG.

Agosto

- 23: Kim Hyun Joong foi acusado de agredir sua namorada. Especula-se que as agressões ocorreram durante dois meses. Relatos diziam que ele a agredia com socos e chutes, o que a levou a ficar internada durante algumas semanas no hospital, mais de uma vez, sendo que uma dessas vezes ela teve uma de suas costelas quebradas. A agência do cantor e o próprio cantor negaram as acusações.

Setembro

- 01: A modelo Lee JiYeon e a cantora DaHee, do grupo GLAM, foram presas após o ator Lee ByungHun acusar elas de chantagem. De acordo com ele, elas pediram 5 bilhões de won para que um vídeo comprometedor não fosse divulgado. O vídeo supostamente continha conversas obscenas do cantor com as duas mulheres.

- 02: O grupo Ladies' Code sofreu um acidente de carro ao colidir contra um muro de proteção. A integrante EunB acabou morrendo no acidente. As outras integrantes e passageiros do veículo foram levados para o hospital. O grupo surgiu em 2013 e era visto com bons olhos, como um dos grupos novos com potencial de crescer futuramente. EunB tinha 22 anos, quase 23.

- 07: Outra integrante do Ladies' Code acabou falecendo: RiSe. A integrante havia entrado em coma e passado por uma cirurgia, mas não aguentou os ferimentos. RiSe havia completado 23 anos no mês anterior.

- 17: A ex-namorada de Kim Hyun Joong decidiu retirar a acusação de agressão sobre o cantor. Ela havia dito dias antes que, se ele pedisse desculpas a ela, ela retiraria a acusação, e foi o que ocorreu.

- 18: O canal E News divulgou uma matéria sobre os maus-tratos sofridos por trainees de uma agência que não foi revelada o nome. Dentre as revelações, a mais chocante foi a de que os trainees (agora ex-trainees) haviam sido estuprados pelo diretor executivo da agência. Um deles, ao ser indagado sobre o motivo de não denunciarem, respondeu que se denunciasse, seria demitido.

- 21: Lee Hoo, líder do grupo ZE:A, publicou um texto contra o presidente da Star Empire, ameaçando-o. No início do texto, ele lembrou do Dream Team, citando o caso em que o atleta japonês Tanaka machucou TaeHeon, um dos integrantes do grupo. Ele também lembrou que havia quebrado a perna. Lee Hoo, posteriormente em outro texto, disse que a situação não deveria ser ignorada, pedindo a ajuda de todos e dos jornalistas e acusando o dinheiro pelo que o mundo se tornou. Ele também disse que queria se livrar das falsas acusações mas era calado pela agência, não podendo expressar seus sentimentos. Então, em outro texto, veio outro motivo: O contrato. Pelo contrato, o lucro da empresa era dividido entre 70% para a o presidente da agência e 30% para dividir entre os nove membros do grupo. No texto foi revelado também que a desculpa da perna quebrada pela agência foi que ele havia se machucado durante um ensaio, e não no evento, como aconteceu de verdade. Ele também revelou que, após a cirurgia, deram uma cesta de frutas pra ele e o proibiram de falar sobre o caso. E ele consentiu até não aguentar mais.

- 22: Lee Hoo revelou que havia entrado em acordo com o presidente da agência e conseguiu com que o ZE:A operasse a Star Empire. O contrato acabou sendo invertido, ou seja, 70% pros integrantes e 30% pro presidente. Depois de tudo resolvido, Lee Hoo soltou que esse acontecimento havia influenciado outros artistas, por isso decidiu que iria se calar naquele momento e pediu para que os artistas fossem tratados melhor. Lee Hoo terminou o texto agradecendo a todos que ajudaram e apoiaram e dizendo que estará observando as empresas que não corrigirem seus erros.

- 30: Jessica postou uma mensagem dizendo que estava fora do Girls' Generation, afirmando que foi forçada a sair. A SM disse que Jessica havia começado seu negócio de moda, o que fez com que os horários se colidissem e atrapalhasse a carreira do grupo. Com isso, Jessica acabou sendo expulsa do grupo, mas ainda continuava na agência. Jessica então disse que se sentia triste e que havia conversado com as integrantes e os responsáveis do grupo dentro da agência sobre suas atividades fora do grupo e afirmou ter recebido permissão e até apoio para isso. Em nota, ela revelou que as outras integrantes mandaram ela escolher entre a marca e o grupo, e como ela não podia largar a marca, acabou sendo expulsa pelas outras integrantes. A desculpa não foi bem aceita pelos fãs, que chegaram a criar teorias para o acontecimento.

Outubro

- 09: Luhan, outro integrante do EXO-M, decidiu processar a SM. Diversos motivos foram especulados. Dentre eles, temos o motivo de que a SM teria organizado sua agenda sem consultá-lo antes, obrigando-o a comparecer aos locais pedidos e inclusive tirando as férias do artista. Outro motivo seria a diferença de valorização e a discriminação entre integrantes coreanos e chineses, sendo que os chineses recebiam menos. O caso continua em aberto.

- 17: Um acidente ocorreu durante a apresentação do grupo 4Minute no The 1st Pangyo Techno Valley Festival. Cerca de 30 fãs estavam sob uma janela de ventilação, que desabou devido ao peso e caiu cerca de 10 metros, matando mais da metade das pessoas que estavam no local.

- 18: Um homem que trabalhava no local do acidente durante a apresentação do grupo 4Minute foi encontrado morto, tendo como principal suspeita o suicídio. Alega-se que ele não tenha aguentado a pressão do acidente e das entrevistas e depoimentos que teve que dar.

- 22: A Star Empire se desculpou pelo caso do Lee Hoo e assumiu o erro.

- 23: As outras integrantes do Ladies' Code, Ashley, Zuny e Sojung, essa última passando por uma cirurgia, receberam alta do hospital. Sojung ainda está passando por avaliações psicológicas, já que ficou traumatizada com a morte de suas amigas durante o período em que esteve internada no hospital. Ashley e Zuny foram as únicas que não tiveram ferimentos graves, mas também estão no tratamento psicológico.

- 27: O cantor Shin HaeChul, bastante famoso na Coreia do Sul, morreu enquanto se recuperava de uma cirurgia bem-sucedida após uma parada cardíaca. Considerado uma lenda, o ícone do rock coreano começou sua carreira em 1988 e foi responsável pelo início do techno no k-pop, além de ser um dos maiores influenciadores da música coreana.

Novembro

- 09: No dia de estreia do grupo Lovelyz, a integrante Seo JiSoo foi acusada de assediar sexualmente pessoas e espalhar fotos nuas delas, além de praticar bullying e outras coisas. A agência da cantora, Woolim, negou todas as acusações e a cantora acabou sendo internada com traumas psicológicos. O caso continua. Uma das supostas vítimas disse que irá mostrar provas do ocorrido.

- 12: O manager do Ladies' Code foi acusado de causar o acidente que matou duas das integrantes do grupo. Ele dirigia o veículo a 135km/h num dia chuvoso. A derrapagem ocorreu após o manager tentar frear o veículo.

- 20: JiSoo, do Lovelyz, recebeu alta do hospital.A agência disse que não deixará impune as pessoas que fizeram as acusações.

- 27: O grupo BAP decidiu processar sua agência, TS. De acordo com eles, o contrato beneficia a agência e desfavorece eles. O contrato inclusive está fora das leis da Comissão de Comercio Justo, criado para proteger os cantores de artimanhas de agências.

Dezembro

- 02: Uma nova suspeita surgiu sobre o processo do BAP contra a empresa TS: o grupo não recebia o salário correto. De acordo com um site, um grupo de nome não revelado sequer tinha acesso a declaração de saldos e que, com outro grupo também de nome não revelado, isso aconteceu mas os integrantes recebiam presentes para que o caso fosse mantido em segredo.

- 07: O processo do BAP contra a empresa TS foi atualizada e revelações vieram a tona. O representante legal do caso alegou que a agência não se importava com a saúde dos integrantes, inclusive chegando a proibir que um dos integrantes ficasse no hospital após um acidente, obrigando-o a participar de um concerto. Os integrantes disseram que a agência nunca mostrou os documentos de salário para eles, ou seja, eles não sabem qual o valor arrecadado em shows, vendas, nem direitos que eles possuem sob o contrato.

Obs.: Os casos de chantagem de Lee JiYeon e DaHee com o ator Lee ByungHun, as acusações de assédio contra JiSoo e os processos de Kris e Luhan contra a SM e do BAP contra a TS continuam em aberto. As ações da SM caíram tantas vezes que preferi nem inserir na matéria. O caso da Jessica ainda não foi aceito pelos fãs. Jessica atualmente está divulgando sua marca de cosméticos, BLANC & ECLARE. A Star Empire já é conhecida por outro caso famoso, com o grupo Nine Muses.

Aconteceram muitas outras coisas, mas decidi escolher apenas algumas, mais voltadas ao k-pop. Desculpem qualquer erro na matéria.

domingo, 28 de dezembro de 2014

Em Algum Lugar do Passado (livro)



Em Algum Lugar do Passado

Ótimo livro. Tem seus altos e baixos, mas a escrita é sensacional e mesmo sendo muito detalhada em alguns momentos, acaba se tornando bom de ler, inclusive para quem não curte muitos detalhes, como eu.

O livro tem textos de introdução e encerramento nas palavras do irmão do personagem que narra os fatos. O autor cria uma espécie de ficção com sensação de realidade. O irmão então explica quem foi seu irmão (o protagonista) e diz que decidiu lançar seu diário, editando algumas partes. Daí começa a história, sobre um dramaturgo com pouco tempo de vida que decide aproveitar a vida antes de morrer. Numa de suas hospedagens em hotéis, ele acaba se apaixonando pela fotografia de uma atriz pendurada na parede. Ele então começa a procurar sobre ela até ficar paranoico, querendo voltar no tempo e encontrando supostas provas que confirmavam que ele havia voltado no tempo. E consegue. Seu objetivo, além de conquistar a mulher que ama, é mudar o futuro dela, terrível e macabro.

Os momentos são únicos. A história não vai logo pro passado, tem coisa pra acontecer antes. Primeiro Richard precisa arranjar um meio de voltar no tempo, depois fazer testes e assim tentar voltar. A cada momentos vamos acompanhado os passos do dramaturgo, cada vez mais fanático e doente por um amor 'impossível'. Depois de tudo resolvido, Richard volta pro passado completamente. Parte do livro já se foi, mas ainda há muito conteúdo pela frente. E é maravilhoso. Ele tenta de tudo pra conquistar sua amada, Elise, que nem o conhece. Ela começa a achá-lo estranho, sua mãe não gosta dele e um homem que cuida da carreira da atriz tb não. As coisas começam a sair do controle, mas Richard é perseverante e continua tentando. Acompanhamos os momentos de romance e os feitos de Richard pra continuar naquele local, escondendo ao máximo de onde veio e enfrentando problemas da época. Qualquer coisa pode acabar fazendo com que ele volte pro seu tempo de origem, o que ele não quer.

Apesar de algumas cenas de melodrama, a maioria é tranquila, dá pra deixar passar e até se envolver. Mas o livro não é feito apenas disso. Richard tem uma vida e tem que aprender a viver naquele local. Momentos de tensão tb estão inclusos. Pela história se passar em poucos dias, soa como justificável a ausência de desenvolvimento de alguns elementos que a história inclusive chega a citar.

Dentre toda a maravilha do livro, uma história mágica que prende a atenção em sua maior parte do tempo, há algumas falhas que, apesar de falhas, não atrapalham muito na história. Uma são a minoria das cenas com melodrama, que soam enroladas, e outra é o fato da história ser escrita como diário, sendo que em diversos momentos parece um livro redigido e pensado. Embora o livro mesmo tente resolver esses pontos usando desculpas aceitáveis, é algo que deve ser citado.

Em relação ao filme, o livro é melhor, mas o filme ainda assim é excelente. As mudanças funcionam e a história não perde toda sua essência, com momentos fiéis até. Muda mais esse contexto do irmão do protagonista (que não tem no filme) e as dúvidas sobre o cara ter voltado ou não no tempo. No livro isso é mais abrangente, já no filme não. O paradoxo do relógio não existe no livro, mas gostei disso no filme. Os finais são semelhantes, mas o livro conta coisas que aconteceram no fim que o filme não conta. Recomendo tanto o livro quanto o filme. É uma daquelas obras tão marcantes que a gente confere e nunca mais esquece.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Operação Big Hero

[Crítica descontraída inspirada num comentário que fiz no Face. Espero que gostem.]


Operação Big Hero

Filmão! Que Frozen que nada, o negócio é Big Hero 6! Animação da Disney com parceria da Marvel. Trata sobre uns personagens da Marvel poucos conhecidos. É inspirado em hqs, mas teve mudanças devidos a direitos autorais (para quem não sabe, a Marvel possui seus direitos no cinema divididos com a Fox e a Sony, o que impede o aparecimento de alguns personagens). Continuando.

O filme conta a história de Hiro Hamada, um garoto gênio que ganha do irmão Tadashi um robô-médico. Ele acaba conhecendo os amigos do irmão e decide estudar no mesmo lugar que eles estudam. As coisas complicam durante uma exposição, onde a invenção do garoto é roubada e usada pelo vilão misterioso do filme. A partir daí, Hiro transforma Baymax, o robô-médico, em robô lutador e cria trajes de combate pra todos virarem heróis. Tem umas reviravoltas mas quero manter o segredo, revelando o mínimo de informações possíveis. Sem spoilers. Dá pra ter noção do que se trata o filme. O filme se passa em San Fransokyo (San Francisco + Tóquio).

É tudo muito bom. A animação já te empolga desde o início e dá pra sentir a história crescendo cada vez mais, com desenvolvimento sem enrolações, indo direto ao ponto. Quando o vilão surge, já tacam na cara do público. "É o cara misterioso e perigoso, quem será?". O ataque começa e não há conversinha, é partir pra ação na hora! E que ótimas cenas! Divertido pra caramba! Comédia e ação se unem em momentos únicos.

A história é de qualidade, simples e direta. Soa clichê inicialmente, mas quem evitou buscar informações do filme, poderá se surpreender bastante com os acontecimentos. Não serei chato e dizer que há uns pequenos problemas de roteiro, até pq é um filme infantil bem feito com objetivo de divertir o público. E conseguiu! Leve isso em conta quando assistir, seja uma boa pessoa.

Personagens carismáticos e apetrechos interessantes e "maneiros" tornam tudo melhor. Incrível como misturam ciência e tecnologia no filme pra construir os uniformes dos heróis. Tem um que cospe fogo, uma que lança bolinhas com elementos químicos, e por aí vai. O robô rouba a atenção do filme por tentar ser dócil mas estar programado para lutar tb. Seu visual marshmallow e diálogos ajudam.

Enfim. É isso. Quero continuação e série já!

3D bonzão, vale a pena.

Nota 9/10

- Sim, tem participação do Stan Lee no filme.

- Antes do filme foi exibido o curta "O Banquete". Conteúdo inesperado.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Impossível possível? (texto)

[Post originalmente publicado no Face]

Se o impossível é algo que não é possível, como é possível que o impossível seja impossível? E se nada é impossível, tudo é possível, mas o impossível não é possível, só que o impossível é possível, mas isso é impossível, mas é possível que seja, mesmo sendo impossível, mesmo sendo possível. Logo se o impossível é possível, nada é impossível, embora seja possível que seja impossível, e tudo é possível, embora seja impossível. No fim das contas, tudo é possível, já que existe a possibilidade de algo ser impossível. Ou seja, a impossibilidade de algo torna que seja possível esse ato, mesmo sendo impossível o possível mas ao mesmo tempo possível o impossível.

Escrever sobre o que eu to escrevendo ou escrever sobre escrever sobre o que eu to escrevendo? (texto)

[Post originalmente publicado no Face]

Se me pedirem pra escrever sobre o que eu to escrevendo e eu escrever sobre escrever sobre o que eu to escrevendo, eu estarei escrevendo sobre o que eu to escrevendo ou estarei escrevendo sobre eu escrever sobre o que eu to escrevendo?

Parece fácil, não? Sim, é fácil, só que há um problema: Se eu escrever sobre o que eu to escrevendo, eu estarei escrevendo sobre o que eu to escrevendo, óbvio, mas se eu escrever sobre eu escrever sobre o que eu to escrevendo, não deixa de de ser uma forma de eu escrever sobre o que eu to escrevendo, de qualquer forma estarei escrevendo sobre o que eu to escrevendo, mas com foco diferente, pois um será direto, sobre o que eu to escrevendo, e outro será sobre eu escrever sobre o que to escrevendo, ou seja, algo mais indiretamente, com citações.

No fim, se eu escrever sobre escrever, estou escrevendo sobre escrever, e essa é a lógica. Assim como se eu escrever sobre escrever sobre escrever, estou escrevendo sobre escrever sobre escrever. Poderia deixar mais simples, mas não quis, to escrevendo sobre escrever o que eu to escrevendo mas ao mesmo tempo escrevendo sobre escrever, por aí.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Deus Não Está Morto



Potencial desperdiçado, forçações e possíveis estereótipos fazem do filme algo mediano, mas felizmente há seus valores.

Esse é um daqueles filmes que gera fácil uma grande crítica, mas vou fazer apenas alguns [grandes] comentários. Primeiro devo ressaltar algo que o filme meio que engana quem quer assistir com certo pensamento: O garoto não tenta exatamente provar a existência de Deus, e sim dizer que seu professor está errado ao dizer que Deus está morto. Pode soar confuso para alguns, mas não é.

Vou resumir tudo em quatro pontos:

1 - Filme de cristão pra cristão. ~ Diferente do esperado, ele não acolhe o lado ateu ou de outras religiões para assim começar o debate. O tempo todo o foco é cristão. Mas ora, por parte, é exatamente isso, é um filme gospel e filmes gospel tem foco cristão, só que por outra, erra em si mesmo ao tratar de um tema desse nível sem se aprofundar. Explicarei mais no ponto a seguir.

2 - Deus está morto! Não, Deus não está morto! Deus está vivo! ~ Ateu ou não, a pessoa que se interessar por esse filme vai ser pelo mesmo motivo: O garoto cristão que é desafiado pelo seu professor ateu a provar a existência de Deus. Independente do resultado final, é de extrema importância fazer com que tais momentos sejam interessantes e com propostas válidas. Sim, o filme consegue manter o nível de interesse alto durante esses momentos, ou pelo menos, em parte deles. O garoto se utiliza de pensamentos dos próprios filósofos e cientistas que o professor tanto admira por serem gênios e ateus. Ótimo, isso torna tudo muito mais interessante. O garoto, ainda em fase de conhecimento, perdendo e o professor, já experiente no assunto, ganhando. Melhor ainda, curiosidade a mil. Se levarmos em consideração que o filme é sobre um garoto de pouca experiência que busca provas e um professor profissional no ramo que se utiliza de tudo o que já presenciou e conhece, dá pra entender o motivo do filme não entrar a fundo em alguns aspectos, dando respostas simples. Vi muitos reclamarem que os argumentos são ruins e fáceis de serem derrubados. Concordo em parte, tanto que o professor derruba fácil alguns argumentos, mas o garoto tenta dar a volta por cima contra-argumentando. A proposta, como disse, não é provar a existência de Deus, e sim dizer que Deus não está morto. O garoto não se utiliza de argumentos cristãos, e sim de gênios e filósofos, e apenas usa a Bíblia para comparar fatos. O grande ponto foi o fim do debate, que, apesar do momento intenso, acabou se aproveitando de outras situações, o que provavelmente anularia a si mesmo, mas a questão fica em aberto. Não acho que há uma ignorância de tudo o que foi construído, e sim uma forçação por parte do roteiro pra que tudo terminasse a favor do garoto. Mas pera, não terminou o filme.

3 - Estereótipos, preconceitos e clichês, entre a verdade e o exagero. ~ Como explicar a cena do cara que caça patos mas por ser cristão tá de boa? Cúmulo. Só pq uma pessoa é cristã não significa que ela possa fazer o que bem entender só pq acredita em Deus. E a do pastor que não consegue nunca ligar um carro pq misteriosamente qualquer carro que ele tenta não liga e só consegue resolver isso com fé? Esse nem prefiro comentar, perda de tempo precioso do filme. Agora o que muitos incomodaram foi com a garota muçulmana que desacreditava na religião de sua família e acreditava em Deus, mas da forma evangélica. Bom, não sei qual foi o objetivo do filme, pode ser tanto ofensivo quanto um modo de dizer que mesmo vc pertencendo a outra religião, vc pode mudar. E por fim temos o ateu arrogante. Nem todos são daquele jeito, mas o que percebi é que muita gente reclamou do filme mostrar os ateus daquele modo. Bom, existem sim muitos ateus como o professor, mas o estranho é o filme não mostrar ateu que respeite o pensamento do cristão. E tb tem o fato de mostrar todo cristão como alguém bonzinho. Sabemos que tem muita gente por aí que se diz cristã mas na verdade não é. Por último cito a reviravolta no final do filme, momento pós-debate, novos cristãos, show, etc. Apenas cito mesmo, pq fiquei em dúvida sobre opinar sobre... aquela cena. Forçado foi, e muito, muito mesmo, mas novamente fico naquela de que pode ser preconceito ou apenas tentaram mostrar que tudo pode acabar a qualquer hora.

4 - Histórias paralelas descartáveis. ~ O objetivo do filme não seria mostrar o garoto que foi desafio por seu professor a provar que Deus não está morto? Então pq um monte de outras histórias só pra mostrar algo com mensagens "bonitinhas" no final? Se essas histórias pelo menos fossem de qualidade, deixaria passar, mas entra em problemas como citado no ponto 2. De longe o melhor desses personagens é o amigo do pastor, que tem mais fé que o próprio pastor. Sempre descontraído e dizendo coisas como "Deus é bom o tempo todo. O tempo todo Deus é bom". O encontro entre essas histórias tb não são das melhores. Tirando a cena em que o pastor encontra o garoto e uma lá pro final do filme, o resto acontece de forma comercial. Não entendeu? Pros últimos minutos do filme, há uma cena em que alguns dos personagens se encontram (não que isso não acontecesse durante o filme, até pq acontece, mas to indo mais a fundo). E esse encontro é... não sei nem explicar. É como se tivessem preparado tudo pra um momento que mais parece uma propaganda. Se estou equivocado, no mínimo é uma cena forçada e clichê daqueles de nível 'só acontece em filmes'.

Não sei se esqueci de algo, mas concluo temporariamente minha avaliação sobre o filme. Não quis entrar em pontos comuns sobre atuações, trilha e tal pq achei todos esses quesitos tranquilos, normais, não me incomodou em nada. Apenas citei o roteiro, seus defeitos e suas qualidades.

O que achei do filme? Mais ou menos. Pelo menos tem umas frases legais.

Soube que vai ter continuação. Fico no aguardo, mas espero que dessa vez façam algo melhor. Sério, bota o garoto como alguém formado e experiente no assunto que é desafiado mais uma vez e assim surge um debate. Seria tudo o que esse filme prometeu e esqueceu de fazer.

Nota: 6/10 (embora esteja com dúvida da nota exata)

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Conheça Pepper, o robô que reconhece emoções humanas

Medindo pouco mais de 1 metro de altura, a empresa japonesa de telefonia móvel Softbank, em parceria com a empresa francesa Aldebaran Robotics, criadora original do robô, apresentou Pepper, um robô capaz de reconhecer as emoções humanas através de expressões e vozes e também conversar, aprender e até mesmo compartilhar informações com outros Peppers. Pepper é um robô todo branco, com cabeça, braços e mãos gesticuláveis, rodas em vez de pés e uma inusitada tela em sua barriga.

O objetivo é trazer felicidade para as pessoas através de uma companhia robótica. Pepper chegará ao mercado japonês em fevereiro de 2015 custando algo em torno de 200 mil ienes (aproximadamente 4,6 mil reais). Abaixo, alguns vídeos do robô.

Aqui, uma emocionante apresentação de Pepper e seu contato com o presidente da Softbank, Masayoshi Son:

http://www.youtube.com/watch?v=O6Yk7uku6_Q

Nesse outro, Pepper conversa com Masayoshi Son e com o público:

http://www.youtube.com/watch?v=kwMJCAZUyGc

Já nesse, Pepper interage com as pessoas no palco, com o público e ainda canta:

http://www.youtube.com/watch?v=b8J2FyS0WgA

Mais vídeos com Pepper conversando com as pessoas:

http://www.youtube.com/watch?v=XCrdrcZFDU4

http://www.youtube.com/watch?v=iyJI_pcg-KQ

Por último, uma divertida entrevista (legendado em inglês):

http://www.youtube.com/watch?v=caZexKG-UZk

~Postagem originalmente publicada no portal Kokyo em 22 de outubro de 2014~

Conheça Mario Warfare, websérie de ação com personagens da Nintendo!

Mario Warfare é uma websérie de ação da Beat Down Boogie com os personagens do universo Mario, com participação de outros personagens da Nintendo. O Nome da websérie é uma junção de Mario com Modern Warfare (Call of Duty).

Feito pelos criadores da websérie Modern War Gear Solid, a websérie começou em 2012 e terminou em 2014, com a ajuda de crowdfunding, totalizando 8 episódios.

Vale a pena conferir, o resultado é surpreendente.

Assista aos episódios:

http://www.youtube.com/watch?v=7AHfj0uDrf0
http://www.youtube.com/watch?v=dfZa_4K7vo8
http://www.youtube.com/watch?v=Ycm2nmcIo3I
http://www.youtube.com/watch?v=tS01NVHg2IU
http://www.youtube.com/watch?v=c9Karb4OZkI
http://www.youtube.com/watch?v=Ltx1u3aaWGE
http://www.youtube.com/watch?v=wDHNol6755E
http://www.youtube.com/watch?v=YFdvTMpumSs


~Postagem originalmente publicada no portal Kokyo em 06 de agosto de 2014~

As muitas outras histórias do Sandman de Neil Gaiman

Criado em 1988 por Neil Gaiman, Sandman contava a história de Morpheus, mestre dos sonhos, e sua passagem pela história dos seres humanos e também de outros universos. Durou 75 edições, em 10 arcos diferentes, mas a história não parou por aí. Durante a publicação da saga e posteriormente, outras histórias foram publicadas, não só em comic como também em mangá e livro.

Saiba mais sobre Sandman na matéria sobre a importância de Sandman no universo dos quadrinhos.

O vasto universo de Sandman possui muitas outras histórias, separadas em séries ou simplesmente edições soltas, as famosas "edições especiais". O objetivo dessa lista é apresentar algumas dessas histórias. Aproveite.

[Sinopses por: *ScanManiacs **Panini ***Comic Vine]



Sandman Apresenta (The Sandman Presents):

Fúrias-3Sandman Apresenta - As Fúrias

*"Eles roubaram seu filho, sua vida e sua sanidade. Deviam ter lhe deixado alguma coisa para perder. Desde a morte de seu filho, Daniel, a meio-humana meio-fúria Lyta Hall tem oscilado pelo vazio do pesar desesperado e do sexo sem sentido. Mas uma estranha coincidência a coloca na companhia de uma trupe de teatro itinerante, em Atenas. Em vez de revisitar sua herança grega para ajudá-la a restaurar sua sanidade, Lyta se descobre perdida nas desagradáveis profundezas de Hades. E, por fim, ela se torna um peão em um jogo mortal entre o mais poderoso deus da mitologia e a inimitável ameaça tripla que são As Fúrias. Seja testemunha de uma busca por vingança e redenção."

0009Sandman Apresenta - O Coríntio

*"Originalmente criado por Lorde Morpheus para perseguir sonhos rebeldes, o Coríntio, um instrumento divino da era antiga também conhecido como 'O Espelho Negro da Humanidade', ficou entediado com sua ocupação e desejoso de afiar seus instintos assassinos. Então partiu pra guerra para se encontrar. Usando o corpo de Stefan Wasserman, um soldado alemão de 14 anos, como portal, o Coríntio abandonou o Sonhar para caminhar na Terra. Agora, alguns anos depois, ele está desesperado para encontrar alguém que lhe ensine a fina arte dos assassinos seriais..."

vertigo-2_pg062-TessaliadaSandman Apresenta - A Tessalíada

*"A Tessalíada dá nova vida a uma das mais enigmáticas personagens de Neil Gaiman em Sandman. Thessaly, a última das bruxas da Tessália, tenta levar uma vida pacata como estudante de literatura em Nova York. Mas seu passado, na forma de cães de caça que parecem ter vindo do inferno, voltou para vingar-se. Quem está por trás dessa vingança?"

38Sandman Apresenta - Merv Cabeça-de-Abóbora: Agente dos Sonho

*"Para todos os habitantes do Sonhar, Merv é apenas o zelador do palácio real. Merv é respondão, cabeça-dura, invocado e, quando não está esfregando os corredores do palácio, passa o tempo inteiro enchendo a paciência de todo mundo! Mas o fato é que, num passado remoto, morreu defendendo o seu soberano, quando o Sonhar foi atacado pelas Fúrias. Merv se declara, também, um agente secreto do mundo dos sonhos. Aquele que é convocado quando os problemas surgem. O principal agente de Sua Majestade. A criatura que, secretamente, controla o reino dos sonhos."

digitalizar0011Sandman Apresenta - Destino

"Sob a cruel sombra de uma terrível praga, os habitantes de uma pequena cidade do século 21 escondem-se em suas casas e aguardam o inevitável. Até que um estranho misterioso chega e oferece respostas saídas do mítico Livro do Destino. Mas os segredos do passado tornam-se pálidos frente a um mistério muito maior que se apresenta – e as palavras proféticas podem selar o destino dos poucos sobreviventes da praga."

Pages-from-LUCIFER-pg-029-050-5Sandman Apresenta - Lúcifer

**"Caído dos Céus, relegado a reinar no Inferno, Lúcifer Estrela da Manhã abandonou seu posto após um episódio com Morfeus dos Perpétuos, e deixou seu reino para ir morar em Los Angeles e repensar sua existência. O ex-monarca supremo do Inferno hoje vive, ironicamente, na Cidade dos Anjos. Mas agora um pedido do Criador em pessoa deve mudar os planos de seu outrora fiel servo. Se Lúcifer aceitar o pedido, poderá ter o que quiser como recompensa. Mas tanto a tarefa quanto o prêmio pretendido não são exatamente o que parecem. Estrela da Manhã adentra um labirinto de perigos cuja saída é a maior de todas as oportunidades. Para chegar ao outro lado, um sacrifício será necessário. A única questão que resta é quem será sacrificado…"

Tudo sobre sonho..07Sandman Apresenta - Tudo que você sempre quis saber sobre sonhos... mas tinha medo de perguntar

"~o próprio nome já diz do que se trata~"

d4d0e42da551da5d67d8dfdf848c1feeSandman Apresenta - Os Garotos Detetives Mortos

***"Pela primeira vez, um conto estrelado pelos garotos detetives mortos, Edwin e Charles de The Sandman: Estação das Brumas e Morte: O Preço da Vida. O primeiro caso envolve uma série de terríveis assassinatos."

SNDPRES_PET_03_300-005_HDSandman Apresenta - Petrefax

***"Série centrada em Petrefax, o aprendiz de Necrópoles que apareceu pela primeira vez na história de Sandman no arco "O Fim do Mundo"."

e95735639984d6a5e8610a06b2577207Sandman Apresenta - Love Street

*"O passado de John Constantine sempre foi motivo de curiosidade para os fãs do famoso Hellblazer. Confira uma história sobre amizades que voltam a brilhar após décadas de separação, sobre ser honesto com você mesmo, e os ideais de sua juventude conforme você cresce. O resultado final de Love Street (mantido no original por ser o título de uma músico dos Doors), com certeza, não decepcionará nenhum fã e muito acrescentará na mitologia do personagem. Confira também o encontro de Constantine com os Perpétuos, quando os habitantes do Sonhar procuram seu mestre desaparecido."

f462f44b37acdc98abbc200354c56fa4Sandman Apresenta - Bast

***"Minissérie estrelando a deusa gata Lady Bast! Com sua legião de seguidores de Lady Bast diminuindo, o mesmo está acontecendo com o seu poder. Mas quando uma adolescente chamada Lucy encontra uma estátua para venerar a deusa, ela provoca uma série de eventos que irão mudar sua vida para sempre."

The Dreaming (O Sonhar):

the-dreaming-1-the-goldie-factor-part-oneO Sonhar - O Fator Goldie

*"O que vai acontecer se o "Arquiteto do Pecado Original" sequestrar Goldie, o gárgula de estimação de ouro de Abel? Este ato terá repercussões que ninguém jamais imaginou. Quem nunca pensou que o pequeno Goldie trairia os seus sentimentos para com os assassinatos cometidos por Caim contra o seu irmão mais novo? Veremos Goldie como um personagem e não apenas um extra que reside na Casa dos Segredos.  A Era do Sonhar de Caim, o Caim dos contos bíblicos? Como Abel e Eva? Como essas coisas se encaixam no grande esquema do Reino dos Sonhos? Será que eles sequer lembram do Paraíso? Se assim for, eles gostariam que não tivessem sido banidos dele afinal? E o que eles fariam se a oportunidade de voltar lhes fossem apresentada?"

the-dreaming-11-weird-romance-part-threeO Sonhar - Estranha Paixão

*"No que deveria ter sido o dia de seu casamento, Bridget acaba sofrendo um acidente que a levou a ficar em um estado de coma, suspensa entre a vida e a morte. Mas sua verdadeira aventura está apenas começando. Enquanto seu noivo Chris senta ao seu lado, Bridget começa uma busca que a levará ao coração do Reino dos Sonhos."

the-dreaming-6-the-lost-boy-part-threeO Sonhar - O Garoto Perdido

***"Mad Hettie, Lady Johanna Constantine, três fadas não confiáveis??, e um jovem arquiteto britânico idealista chamado Brian convergem em uma determinada floresta em noite de véspera de verão... em séculos diferentes."

the-dreaming-14-coyote-s-kiss-part-twoO Sonhar - O Beijo do Coiote

***"O malandro conhecido como Coiote atrai Matthew, o corvo, para longe da segurança do Sonhar e começa a adular o seu caminho para o afeto de Eva. Mas como os dois sonhadores mortais irão descobrir, o Coiote inquieto e arrogante nunca está satisfeito, até que ele morde mais do que pode mastigar."

the-dreaming-17-souvenirs-part-oneO Sonhar - Recordações

***"O Coríntio supõe que é um pesadelo. Ele não deveria ter sonhos ruins, mas uma ligação estranha formou entre o charmoso novo Coríntio e Gabriel, vítima delirante de uma versão mais antiga do Coríntio. Gabriel acredita que ele é realmente o Coríntio, e sua realidade distorcida está afetando a sonhar."

the-dreaming-20-tears-for-a-dark-rose-book-1-the-uO Sonhar - A Rosa Negra

***"Os sonhos chocantes da jovem Victória ameaçam colidir com a sua vida na forma de um bonito e debochado estranho - um estranho que tem uma estranha semelhança com um certo cavalheiro do Sonhar que possui dentes nos olhos."

the-dreaming-23-un-kindness-of-one-part-twoO Sonhar - A Indelicadeza de Nós

***"De primeira, Matthew Raven pensa que é só um sonho ruim. Acontece que seu despertar é ainda pior quando uma força misteriosa puxa-o para fora da caverna de Eva e para o mundo de vigília, onde ele se encontra nu, tremendo de frio, e inconfundivelmente humano."

the-dreaming-30-many-mansions-part-four-temporaryO Sonhar - Muitas Mansões

***"A Casa do Mistério odeia seu zelador há tanto tempo que ninguém mais fala nisso. Mas até mesmo as casas têm os seus limites e a Casa do Mistério decidiu que ela simplesmente não aguenta mais."

the-dreaming-36-the-gyres-part-one-slow-dyingO Sonhar - Os Giros

***"O vilão Eco encontra-se doente, aleijado e impotente em algum lugar de New Orleans - até que ele se encontra no Sonhar prestes a desencadear uma cadeia de eventos desastrosos."

the-dreaming-40-fox-and-hounds-part-one-new-orleanO Sonhar - Raposa e Cães de Caça

***"A morte de Eco não só concedeu-lhe o acesso imprevisível tanto The Dreaming quanto do mundo de vigília, mas também resultou em sua transformação de um homem drogado para uma mulher bonita. Mas Eco não tem tempo para deleitar-se com sua recém-descoberta fortuna, já que todos, desde o Coríntio, o mais perigoso de todos os pesadelos, ao bibliotecário fiel do Sandman, estão buscando vingança contra a garota mais propensa a causar estragos."

the-dreaming-52-exiles-part-oneO Sonhar - Exilados

***"Depois de ter sido banido do Sonhar, The Coríntio se entrega a seus apetites mais básicos nos cantos mais escuros de Bangkok. Mas ele não está sozinho, um serial killer percorre as mesmas ruas."

the-dreaming-57-rise-part-one-bad-dreamsO Sonhar - Ascensão

***"Seguindo as ordens de Sandman, o Coríntio retorna à sua cidadela para retomar seu papel como o Dark Mirror. Mas seu inimigo traiçoeiro Eco, que vem comandando o show na sua ausência, decidiu que gosta de sua posição atual e, em última instância, molda uma guerra de pesadelo no Sonhar, em um esforço apocalíptico para manter o trono."



Especiais e outros:

Orpheus_1Sandman - Orpheus

*"A Lenda de Orpheus já foi contada na forma de história, canção e poema através de incontáveis gerações. Foi narrada como um conto de bravura, como uma lição sobre os perigos do orgulho, como uma ode à juventude e aos amores perdidos antes do tempo. Mas ela jamais foi contada desta maneira. Aqui está, então, a história do filho único de Sandman, Orpheus, o rebento dos Perpétuos."

anos90Sandman - Noites Sem Fim

**"Álbum especial em sete capítulos, apresentando os irmãos Perpétuos em histórias inéditas:

#Morte - Uma estranha dimensão na qual a Morte não entra e um excêntrico conde a esnobe.

#Desejo - Em alguma época não mencionada do tempo, uma mulher procura a andrógina Desejo para conseguir conquistar o homem por quem se apaixonara. O preço a pagar, porém, foi caro demais.

#Sonho - Novos fatos do passado de Sandman são revelados nesta inusitada história que o Sol conta para a Terra.

#Desespero - 15 situações do mais puro desespero, que leva à loucura e à morte.

#Delirio - Sonho, o cão Barnabas e o corvo Mathew ajudam uma mulher aprisionada em sua própria loucura.

#Destruição - Arqueólogos encontram artefatos do futuro enterrados numa ilha.

#Destino - O Perpétuo mais enigmático fala do assustador livro do Destino e de seus irmãos."

crusade2A Cruzada das Crianças

***"Neil Gaiman, autor de Sandman, conta um conto poderoso e misterioso que começa quando todos os filhos de uma aldeia desaparecem misteriosamente. Rowland e Paine, os dois meninos detetives mortos introduzidos em Sandman 25, investigam os desaparecimentos e descobrem a existência do sobrenatural País Livre. Mas os habitantes daquele reino guardam um mistério que envolve vários seres jovens de poder - Suzy, a criança Orquídea Negra; Tefé, filha do Homem-Animal; Dorothy Spinner da Patrulha do Destino; e Tim Hunter, o jovem mago introduzido em Os Livros da Magia."

TGWWBD_04_19A Menina que Seria a Morte

***"Apesar do título, não estrela a Morte dos Perpétuos. Em vez disso, caracteriza uma menina que rouba o Ankh da Morte. A mini-série faz referências a outros personagens e objetos de Sandman."

f24b46e0a0c25efc97b1b0c3a07fc196Bruxaria

***"Estrela as Fúrias através dos séculos abrangendo contos de vingança."

gscDeus Salve a Rainha

***"Situado no norte de Londres e no reino das fadas, God Save the Queen conta a história de uma adolescente rebelde que cai nas mãos de um grupo de fadas preguiçosas. Ela descobre o Red Horse, uma droga feita a partir de heroína e de sangue humano, altamente perigoso. Quando ela fica viciado ela é desenhada em uma guerra civil que se torna uma luta até a morte entre a Rainha Titânia e sua antecessora, Rainha Mab."


Livros:

Sandman - O Livro dos Sonhos1Sandman - O Livro dos Sonhos

*"Uma antologia escrita por várias mãos, à obra é assinada por vencedores de vários prêmios literários, como Colin Greenland, John M. Ford, Lisa Goldstein, Will Shetterly e Robert Rodi, entre outros. Os aclamados autores usaram os elementos do universo do Lorde Morpheus. Por isso, há histórias fantásticas com participações de alguns dos Perpétuos, de habitantes do Sonhar e de protagonistas de sagas específicas. As intrigantes histórias de O Livro dos Sonhos são capazes de transportar o leitor a um universo onde fantasia e realidade caminham lado a lado."

Caadores de Sonhos - 014-015Sandman - Os Caçadores de Sonhos

*"A história gira em torno do amor puro e honesto que uma raposa, dotada de poderes místicos, desenvolve por um monge. Determinada a proteger seu amado dos males da feitiçaria da época, ela vai ao encontro da Raposa dos Sonhos (Sandman assume diversas formas, de acordo com o ser que o enxerga; para o monge, por exemplo, ele aparece como um homem oriental), para no seu reino, travar uma batalha pela vida do seu amado, usando toda a astúcia própria desse animal. livro comemorativo dos 10 anos de Sandman, onde Neil Gaiman adaptou um conto japonês chamado "A Raposa, o Monge e o Mikado dos Sonhos", que possui incríveis semelhanças com Sandman."


Com o sucesso da personagem Morte, tivemos sagas voltadas especialmente para ela:

walldeathMorte - O Preço da Vida

*"Morte - O Preço da Vida descreve o encontro entre a perpétua e o adolescente Sexton Furnival. Quando encontra a Morte, Sexton está pensando em se suicidar, mas abandona temporariamente a idéia quando começa a acompanhá-la. A Morte não aparenta ser muito mais velha do que ele e ele a vê como uma garota de idéias extravagantes, em boa parte por não tentar esconder em nenhum momento que é a Morte."

Morte a Festa_0025Morte - A Festa

*"Os seis perpétuos estão reunidos quando descobrem que Sonho tem um pepino nas mãos: ele ganhou as chaves do inferno de Lúcifer Morningstar, que abandonou o trono. De repente, os mortos pecadores não têm lugar para ir e tomam conta da sala da casa da Morte em uma festa organizada por Delirium e Desespero. Releitura da saga Estação das Brumas sob a ótica da Morte, a irmã mais carismática de Sonho. A história foi refeita sobre os pilares dos mangás."

Morte20Grande20momento20da20vida200120de200323Morte - O Grande Momento da Vida

*"Foxglove é a cantora da moda. Fazendo enorme sucesso, com seu rock'n roll acústico, Foxy quer assumir seu relacionamento com sua namorada Hazel, mas seu empresário, Larry, acredita que isso provocaria o fim de sua carreira. Em Nova Iorque, Foxglove pensa na sua vida, em sua carreira e nas dificuldades de seu casamento. Enquanto em Los Angeles, Hazel e seu filho Alvie têm uma grande surpresa. Uma morte inesperada e uma visita surpresa dão início à história."


Sandman-A-festa-de-Delirium-página-2As coisas não param por aí. Existe também uma versão infantil da saga, chamada de "Os Pequenos Perpétuos" (também conhecido por As Aventuras dos Pequenos Perpétuos), com algumas histórias onde cada uma se foca em algo diferente.

The-Sandman-Overture-2013-001-010Ano passado Neil Gaiman retornou com "The Sandman: Overture", que serve de prelúdio pra edição 1 da saga principal.


death-magic-ponySandman e alguns de seus personagens apareceram em outras histórias da DC. A Morte, por exemplo, fez uma participação especial em 'Lex Luthor: Anel Negro'. Sandman já apareceu em 'Liga da Justiça: Mestre dos Sonhos'. Há outros.

Ainda há muitas outras histórias, seja minissérie, seja especial, seja spin-off. Sandman irá continuar ou 'Overture' é apenas um momento passageiro? Só o futuro dirá. Lembrando que no Brasil ainda há muitos lançamentos inéditos. Com o filme a caminho, acredito que lançarão mais.

~Postagem originalmente publicada no portal Kokyo em 22 e 29 de setembro de 2014~

A importância do Sandman de Neil Gaiman nos quadrinhos

Sandman foi criado em 1988, embora tenha sido datado apenas em 1989, e durou até 1996, totalizando 75 edições, divididos em 10 arcos. Criado por Neil Gaiman, a história em quadrinhos repercutiu todo o mundo e fez um enorme sucesso, sendo bem aceito tanto pelos críticos quanto pelo público, ganhando desde prêmios Eisner, o mais importante dos quadrinhos, em várias categorias e repetidas vezes (entre elas a de melhor série de 1991 a 1993 e melhor escritor de 1991 a 1994), a elogios de Stephen King, um dos maiores, melhores e mais importantes escritores do mundo. Por ser da DC Comics, e ter um conteúdo adulto, acabou entrando para a linha Vertigo, linha da editora para quadrinhos voltados para o público adulto.

A história conta sobre Morpheus, o senhor dos sonhos, que cuida de seu reino e vaga pelos sonhos das pessoas. Cada arco conta uma história diferente. No primeiro, Sandman é aprisionado por décadas. Nesse tempo, muitas pessoas que dormiram, não voltaram a acordar; e muitas pessoas que estavam acordadas, não conseguiram dormir novamente. Quando Sandman escapa, vai em busca de seus artefatos, onde estão boa parte de seus poderes. Um está com Constantine, outro está no Inferno e outro está com um prisioneiro do Asilo Arkham. Sandman então parte em busca desses artefatos.

A ideia surgiu quando foi dado liberdade para Gaiman criar um personagem usando o mesmo nome de algum personagem dos anos 70 que a DC houvesse detido. A ideia dada a Gaiman foi Sandman. Gaiman se aproveitou do personagem e recriou todo o universo, surgindo assim um novo e também mais famoso Sandman. Na época, a DC estava em busca de novos talentos e, por indicação de algumas das pessoas que trabalhavam dentro da editora, como Alan Moore, recomendaram Gaiman e McKean, porém, mesmo após vários personagens, a DC não estava tão confiante assim, o que acabou na liberdade criativa para Gaiman fazer o que quisesse.

Sandman foi a primeira revista em quadrinhos a ganhar um prêmio literário importante (no caso, o World Fantasy Award, na categoria 'melhor história curta',em 1991), considerado um marco na indústria quadrinista. A história foi "Sonhos de Uma Noite de Verão", alusão ao clássico de Shakespeare.

Sandman também revolucionou ao criar uma história de início, meio e fim, coisa que não era comum na época. Também foi uma das primeiras revistas em quadrinhos a ganhar coletâneas. Além, Sandman apresentou diversos personagens que são usados até hoje.

Outra revolução foi em relação aos personagens e gênero. Sandman não é uma história de heróis contra vilões, não é uma história de luta, muito menos uma história sobre agentes secretos, nada disso. Sandman é uma história sobre sonhos. Dentre os personagens, Gaiman criou os Perpétuos. Como ele mesmo disse, nem todos os personagens foram criados por ele (Destino já estava vagando pela DC desde quando ele era criança), mas ele se aproveitou de tudo o que pode para criar todo um universo interligado. Os Perpétuos são os seres que cuidam do mundo, são eles: Morte, Delírio, Destino, Destruição, Desespero, Desejo e Sonho (Sandman, Morpheus). Cada um representa algo humano, um grande trunfo para a história. Fora os Perpétuos, temos os personagens que moram no Sonhar (universo onde Morpheus mora), os personagens humanos (que variam a cada arco) e outros, como o reino das fadas, por exemplo.

Como dito anteriormente, Sandman foi considerado um quadrinho adulto. Com a fama, ajudou a mostrar que os quadrinhos podiam ser levados a sério e tratar de temas importantes e polêmicos, como o medo, o homossexualismo, a aids, a morte, a religião, a vida, entre outros assuntos.

Cada arco é único, com uma trama ora complexa, ora simples, mas com atrativos e personagens que o público pudesse se identificar. O que vemos em Sandman não é exatamente a vida de Morpheus, e sim a vida dos humanos e como um influencia o outro, gerando momentos marcantes durante a história.

As hqs foram publicadas aqui no Brasil pela primeira vez pela editora Globo entre 1989 e 1999. Morpheus teve o nome traduzido para João Pestana (ponto pros tradutores, e teve gente achando que Edu Kent, Pedro Prado e certo herói combatendo os crimes em Riacho Doce estavam na pior). Depois de várias tentativas de outras editoras para republicar, a Conrad republicou em 'edições especiais definitivas e absolutas de luxo', por assim dizer.

Fonte de alguns dos dados presentes na matéria: HQManiacs.

~Postagem originalmente publicada no portal Kokyo em 10 de setembro de 2014~

Um breve resumo do k-pop em tópicos

03 o que é* O que é

- K-pop é um gênero musical da Coreia do Sul que reúne dança, música e chega a ditar moda e pensamentos.

- O termo ‘k-pop’ é uma abreviação de ‘Korean-Pop’, ou seja, pop coreano.

- Dentro do gênero, há diversos ritmos, como pop, rock, eletrônica, hip hop, r&b, dance, entre outros.

- O kpop costuma misturar ritmos, geralmente agitados, acrescentando danças sincronizadas, apresentadas e cantadas por grupos de homens ou mulheres, que possuem um visual bem produzido. No caso de músicas mais calmas, as coisas são mais simples. Há exceções para tudo, mas os padrões são esses.

- O público alvo principal são adolescentes e jovens.

04 origem* Origem

- Surgiu nos anos 90, influenciado tanto pela música americana quanto japonesa. E, claro, pela já existente música coreana.

- O k-pop que conhecemos hoje iniciou em 1992, com a banda Seo Taiji & Boys, famoso pelo hip-hop, rock e pop, encerrando em 1996. O grupo surgiu após Seo Taiji sair da banda de heavy metal Sinawe. Em 1998, Seo Taiji voltou em carreira solo e continua até hoje.

- Nos anos 90 surgiram as maiores empresas de k-pop: SM, YG e JYP.

- A partir de 1995 o investimento em boy e girl bands (banda/grupo de garotos e garotas, respectivamente) cresceu, surgindo grupos como HOT, SES, Shinwa, Fly to the Sky, entre outros, e cantores solos como BoA, Lee Jung Hyun, etc.

06 língua* Língua

- Apesar de ser coreano, nem todos os cantores são coreanos e muito menos nem todas as músicas são coreanas. No k-pop é comum ter coreano, chinês, americano, canadense e outros.

- As músicas costumam misturar coreano e inglês, prática comum em outros países da Ásia, como o Japão. As línguas também podem variar para japonês, mandarim, inglês e, em raríssimos casos, espanhol e até mesmo português (esse último raro até demais).

07 treinamento* Treinamento

- Um cantor de k-pop é considerado um k-idol (ídolo coreano), principalmente aqueles que seguem o padrão do k-pop e fazem parte de grupos de k-pop.

- Para fazer parte de um grupo, eles entram na empresa e treinam durante anos.

~ Jessica, integrante do Girls’ Generation, maior grupo de k-pop atualmente, foi “trainee” durante 7 anos até debutar (estrear).

08 estilos* Estilos

- Os grupos costumam variar entre dois estilos: o fofo e o sexy.

- Os integrantes dos grupos masculinos costumam ou ter um rosto mais afeminado e voz afinada ou um rosto mais másculo e voz grossa.

- As integrantes dos grupos femininos costumam ou ter um rosto mais infantil e voz doce ou um rosto mais adulto e voz potente.

- O estilo fofo é seguido de carinhas felizes, meiguice, músicas mais divertidas, figurino colorido e inocência.

- O estilo sexy é seguido de sensualidade, perversão, músicas com mais batidas, figurino escuro e insinuações sexuais.

- Apesar do padrão, há exceções, um grupo pode ser sexy fazendo movimentos sensuais sem se tornar vulgar e um grupo fofo pode inserir mensagens de duplo sentido, acabando com a inocência.

- Os cabelos dos cantores podem variar de cor e corte de acordo com o álbum promovido ou até mesmo durante a promoção do álbum.

- As roupas variam de acordo com o tema proposto na música.

- Um grupo não fica toda sua carreira em apenas um estilo, a alternância é presente. Em um momento o grupo pode estar sério, com uma música repleta de batidas fortes, em outro o grupo pode estar tranquilo, fazendo poses fofas.

- Em alguns casos, existem as sub-units, que são sub-grupos, formados por apenas alguns integrantes do grupo principal. Ex.:

~ SNSD tem o sub-grupo TaeTiSeo

~ Super Junior tem os sub-grupos Super Junior M, T, KRIS, Happy e Donghae&Eunhyuk, com diferentes focos e estilos musicais.

09 nomes dos grupos* Nomes dos grupos

- Os grupos possuem nomes complicados onde, muita das vezes, são abreviações de frases. Ex.:

~ BAP = Best Absolute Perfect (Os Mais Perfeitos e Absolutos)

~ MIB = Most Incredible Busters (Os Mais Incríveis Demolidores)

~ SNSD = So Nyeo Shi Dae (Geração de Donzelas / atualmente Girls’ Generation = Geração de Garotas)

~ U-KISS = Ubiquitous (Onipresente)

~ 2NE1 = To Anyone (Para Ninguém) ou Twenty-One (21)

~ Block B = Blockbuster (Sucesso de Público)

~ BoA = Best of Asia (Melhor da Ásia)

~ Sistar = Sister + Star (Irmã + Estrela)

10 fandom* Fandom

- Cada fandom, termo dado para ‘grupo de fãs’, tem um nome próprio. E cada grupo tem uma cor oficial. Alguns chegam a ter símbolo próprio. Tem cantores que também recebem nome de fandom. Ex.:

~ Girls’ Generation – Sone – Rosa Pastel

~ 2ne1 – Blackjack – Rosa-Choque

~ Super Junior – Everlasting Friends (ELF) – Azul Safira Perolado

~ Block B – BBC – Roxo

~ PSY – PSYcho – Preto

~ BoA – Jumping BoA – Amarelo Perolado

~ TVXQ (DBSK) – Cassiopeia – Vermelho Perolado

29 quantidade* Quantidade

- Os comebacks (retornos) dos grupos são sempre esperados. Praticamente todo ano o grupo lança um álbum ou mini-álbum novo.

- Todo álbum tem pelo menos um videoclipe, alguns acabam fazendo mais um ou dois.

- Por ano, dezenas de grupos se lançam no mercado, que é bastante concorrido. Apenas alguns consequem continuar ativos.

- O mercado é bastante dividido, tanto grupos antigos quanto novos fazem sucesso.

11 promoção* Promoção

- Para promover um álbum na Coreia do Sul, o grupo deve se apresentar em programas musicais. Quanto mais apresentações, melhor. O grupo então apresenta o single (música principal) do álbum repetidamente até acabar o período de promoção. Para não ficar tão repetitivo, em alguns casos são acrescentados mais duas músicas do álbum.

12 apresentações* Apresentações

- Apesar de inúmeras apresentações de uma mesma música, sempre tem público. Porém, para não ficar na mesmice, pode ocorrer um “especial”, onde um grupo ou cantor solo canta a música de outro ou até mesmo recebe a participação especial de outro. Os casos são diversos, algumas vezes formando até um grupo com integrantes um de cada grupo já existente.

- Os tais “especiais” ocorrem vez ou outra e contam geralmente com cantores mais experientes ou de grande sucesso no momento.

13 programas de tv* Programas de tv

- Além do artista cantar e dançar em seu respectivo papel dentro do grupo (já que tem o vocal principal, o dançarino, o rapper, etc), ele tem que aumentar seu reconhecimento. Pra isso, participa de programas de tv dos mais diversos, seja de entrevista, de jogos, de humor, o que for. Alguns chegam a participar de reality shows, outros ganham programas próprios, com poucos episódios.

~ Weekly Idol, Running Man, We Got Married, são alguns desses programas de entretenimento. Já musicais temos M! Countdown, Music Bank, Inkigayo, Music Core, entre outros.

14 doramas* Doramas

- Além do artista cantar, dançar e participar de programas de tv, eles também atuam. Os doramas são outra fonte de sucesso para promover a imagem do artista.

- Dorama é novela em japonês, porém o termo é usado para qualquer país da Ásia. A novela, no caso, tem um ar mais voltado ao seriado, e não a novela comum que assistimos aqui no ocidente. Na Coreia do Sul, é conhecido como ‘k-drama’.

- Cada dorama tem suas músicas-tema, e cada música-tema é cantada por um artista diferente. As músicas de doramas fazem um enorme sucesso na Coreia do Sul.

- Os doramas coreanos possuem de 16 a 20 episódios, numa média de 80 minutos por episódio, o que dá um total de, no mínimo, 18 horas de dorama.

~ Alguns doramas famosos: Dream High, Boys Before Flowers, 49 Days, Full House, City Hunter, IRIS, Love Rain, Coffee Prince, Monstar, Secret Garden, Heartstrings, entre outros.

- Os doramas costumam ser ou romântico ou policial. Independente do gênero, o romance e o drama estão presentes, até mesmo em dorama de comédia.

18 expansão do kpop* Expansão do K-Pop

- Com a chegada da internet, o k-pop começou a se espalhar pelo mundo. Inicialmente pela Ásia e aos poucos por outros continentes até chegar no Brasil.

- Após 2010, o k-pop já havia virado febre em diversos países e conquistado uma legião de fãs, seja nas Américas, na Europa, na África, na Oceania ou na Ásia. Países como Estados Unidos e Brasil ganharam bastante destaque nos últimos anos. O Brasil chega a ter fandoms maiores que de vários outros países.

19 kpop não-coreano* K-Pop não-coreano

- Os grupos de k-pop costumam promover álbuns em outras línguas além do coreano. É comum um grupo ir para o Japão cantar músicas japonesas. Alguns grupos vão para a China cantar músicas em mandarim. Poucos grupos possuem carreira americana, mas algumas músicas acabam ganhando versão em inglês.

- As músicas japonesas e chinesas não são apenas traduções das coreanas. As línguas possuam músicas exclusivas também, as vezes álbuns completos exclusivos.

~ Alguns grupos que possuem carreira no Japão: Girls’ Generation, KARA, T-ara. Alguns grupos que possuem carreira na China: EXO-M, Super Junior M. A cantora BoA possui carreira coreana, japonesa e americana.

20 grupos e solos* Grupos e solos

- Por conter mais de 100 grupos, decidi escolher apenas os principais dos principais dos principais, ou os mais famosos.

- Segue 4 grupos, 1 banda e 2 cantores solos que fazem sucesso nesse universo do k-pop.

21 girls generation~ Girls' Generation

- Estreou em 2007 com a música Into the New World e é composto por 9 integrantes: TaeYeon, Jessica, Tiffany, Sunny, Yuri, HyeoYeon, SeoHyun, SooYoung e Yoona.

- Seu maior hit é Gee, de 2009. Gee era o videoclipe mais assistido de kpop, sendo ultrapassado apenas por PSY.

- Em 2013, ganhou o prêmio de Vídeo do Ano no YouTube Music Awards. Já conseguiu mais de 80 prêmios em premiações importantes e mais de 70 em programas musicais. Em alguns, o grupo é recordista de prêmios.

- São consideradas as princesas do k-pop. É o grupo preferido dos soldados coreanos e, recentemente, se tornou o grupo oficial da cultura coreana.

- Já lançou 12 álbuns e singles, obteve 10 programas de tv exclusivos e já realizou 6 turnês.

- Algumas integrantes já participaram de filmes, doramas e peças de teatro.

22 2ne1~ 2ne1

- Estreou em 2009 com a música Fire e é composto por 4 integrantes: CL, Bom, Minzy e Dara.

- Ganhou reconhecimento mundo afora, inclusive no The New York Times.

- Possui mais de 10 álbuns e singles e já realizou 5 turnês. Teve 3 programas de tv exclusivos.

23 super junior~ Super Junior

- Debutou com 11 integrantes em 2005. Em 2006, entrou mais um integrante. Em 2008, dois integrantes chineses se uniram ao sub-grupo chinês. Em 2009, dois integrantes pararam de integrar o grupo.

- A música mais famosa é Sorry Sorry, responsável por popularizar o grupo em outros países.

- Possui 18 álbuns e singles, já realizou 8 turnês e já participou de inúmeros doramas, peças de teatro, filmes, etc.

24 tvxq something~ TVXQ

- Surgiu em 2003 e foi composto por cinco integrantes, porém, em 2009, os integrantes Hero Jaejoong, Micky Yoochun e Xiah Junsu saíram do grupo após uma confusão com a empresa, restando apenas U-Know Yunho e Max Changmin.

- A música mais famosa é Mirotic, que fez um enorme sucesso e é considerado por alguns como a melhor música de kpop. Pra outros, compete com Gee, do Girls’ Generation.

- Possui 67 álbuns e singles e já realizou 11 turnês.

25 cnblue~ CNBlue

- Banda de rock (e algumas vezes pop também) que debutou em 2009 com quatro integrantes, todos vocais. No vocal principal e guitarra temos Jung Yong Hwa, na outra guitarra temos Lee Jong Hyun, no baixo elétrico temos Lee Jung Shin e na bateria temos Kang Min Hyuk.

- É difícil dizer qual a música mais famosa, mas fica entre I’m a Loner, Love, Intuition e Can’t Stop.

- Já lançou 16 álbuns e singles e realizou 2 turnês.

26 ailee~ Ailee

- Estreou em 2012 com Heaven e já gravou 8 álbuns e singles, além de fazer participação especial em 8 músicas de outros grupos/solos.

- É presença marcante no programa Immortal Song 2, onde surpreende a todos com sua potente voz, considerada uma das melhores vozes coreanas. Alguns consideram a melhor da atualidade.

- Sua música mais famosa provavelmente é U&I, já seu feat (sua participação especial) mais famoso é em Shower of Tears, da dupla de hip hop BaeChiGi.

27 jyp~ JYP

- Park Jin Young estreou em 1994 e é dono da JYP, a terceira maior empresa de kpop.

- Sua música mais famosa é Honey, que faz sucesso até os dias de hoje e muitos cantores fazem cover da música.

- Em 2008 cantou com Jackie Chan no projeto ‘I Love Asia’, devido ao terremoto que abalou a China.

- Em 2009, foi o primeiro compositor coreano a entrar no top 100 da Billboard com a letra da música Nobody, feita para o grupo Wonder Girls.

- Atuou no dorama Dream High, o que ajudou muito a sua imagem. Para os fãs, é o “segundo Michael Jackson”.

- Possui 10 álbuns e já recebeu vários prêmios.

28 outros grupos e solos importantes* Outros grupos e solos importantes (sei que deixarei milhares de fora, foi mal, mas tenho que citar alguns)

~ Grupos: Big Bang, f(x), Block B, MIB, SHINee, Secret, Sistar, T-ara, Wonder Girls, Davichi, 2BiC, Akdong Musician, EXO, Girls’ Day, Crayon Pop, BtoB, BAP, AOA, 4Minute, U-KISS, Teen Top, VIXX, My Name, Sweet Sorrow, Ulala Session, Rainbow, NU’EST, Koyote, LC9, entre outros.

~ Solos: Lyn, IU, KangTa, SE7EN, Zion T, Primary, PSY, Lee Hi, Eddy Kim, K Will, entre outros.

30 kpop no brasil*K-Pop no Brasil

- Com a popularidade do k-pop crescendo, foi questão de tempo até anunciarem shows aqui. O k-pop não ficou mais apenas em eventos de anime ou eventos exclusivos, agora há shows e há fanmeetings (onde o fã pode conhecer o cantor, abraçá-lo, tirar foto com ele, pedir autógrafo e dar presentes).

- Embora ainda seja pouco, o Brasil só tende a ganhar mais shows. Citarei os dois maiores e mais importantes:

31 super show 5~ Super Show 5

- Ocorreu em São Paulo no dia 21 de abril de 2013, no Credcard Hall.

- Foram escolhidos 25 países para a turnê e o Brasil foi um deles.

- A pré-venda começou dia 24 de março e a venda dia 26. No dia 1 de abril, todos os ingressos já haviam sido vendidos, se tornando o terceiro maior show com ingressos vendidos pela Ticket For Fun, perdendo apenas para O Rei Leão e Cirque du Soleil.

- Além das músicas coreanas, o grupo também cantou Ai Se Eu Te Pego, do Michel Teló.

32 music bank in brazil~ Music Bank in Brazil

- Em ritmo de Copa do Mundo, o Brasil recebeu a edição especial do Music Bank, programa coreano que possui seu programa semanal na Coreia do Sul e anual em diversos países.

- Ocorreu no dia 7 de junho de 2014 no HSBC Arena. Participaram os grupos BAP, MIB, MBLAQ, Infinite, SHINee, a banda CNBlue e a cantora solo Ailee.

- O programa teve, além dos apresentadores oficiais, a participação de Fiuk. A abertura foi feita pela Cláudia Leite em vídeo.

- Além das músicas coreanas, o programa/show contou com os famosos especiais, típicos do programa, com direito a vinhetas. Uma delas foi uma música coreana de copa.

- Em especial, tiveram três músicas brasileiras. Uma delas foi uma parte de Vou Deixar, com todos os cantores, outra foi Aquarela do Brasil, cantada pela cantora Ailee, e outra foi Garota de Ipanema, cantada parte em português parte em inglês pelos cantores Lee Taemin (SHINee), Lee Jong Hyun (CNBlue) e Kim Sung Kyu (Infinite).

33 outros termos que necessitam serem citados* Outros termos que necessitam serem citados e não foram citados anteriormente

~ Bias – O membro preferido do grupo.

~ Aegyo – Ato de fofura.

~ Fighting/Hwaiting – Usado para encorajar.

~ Annyeonghaseyo – OI.

~ Selca – Tipo selfie, só que só da pessoa.

~ MV – Abreviação de Music Video.

~ Fanlights – Luzes presentes principalmente em bastões.

~ Shippar – Formar casalzinho.

~ Netizen - Junção de “internet” com “citizen”. É o termo dado a pessoas que costumam praticar ações na internet, como comentar sobre os ídolos de k-pop.

~ Oppa/Unnie/outros – Termos pessoais.

34 conclusão e observações* Conclusão e Observação

- O kpop mostrou que tem poder e que veio pra ficar. Ainda tem muito o que crescer mundo afora mas já se tornou conhecido.

- Gangnam Style não representa todo o k-pop, é apenas uma das músicas, e é uma música de crítica e humor, algo diferente do comum, se pararmos pra pensar.

- O Brasil foi considerado o país com o maior fandom de 2ne1 do mundo, através de uma votação oficial acirrada no FaceBook.

- O Brasil também é recordista em ter fandoms de grupos de kpop que não são tão famosos no país de origem.

- Tem k-pop para todos os gostos.


~Postagem publicada originalmente em no portal Kokyo 8 e 9 de outubro de 2014~

Especial - Mangás Brasileiros

Mangás brasileiros. O que vem a ser? Na verdade, como todos sabem, mangá é o termo dado a história em quadrinho (hq, gibi, etc) feito no Japão. Os mangás brasileiros são quadrinhos nacionais com o estilo, como o nome já diz, mangá. Antes de mais nada, devo dizer que o mercado de mangás brasileiros ainda está em andamento, crescendo aos poucos. Recentemente a obra brasileira Over The Rainbow ficou em segundo lugar no MICC, eventos de mangás no Japão.

Geralmente os mangás são achados pra baixar na internet ou comprar com o dono. Recentemente a editora Lancaster lançou uma nova revista chamada Ação Magazine ( HYPERLINK “http://acaomagazine.com.br/” http://acaomagazine.com.br/), 100% brasileiro só com histórias brasileiras a la mangá. Foi apenas depois do ano 2000 que tivemos relatos de mangás brasileiros, através da internet.

Muita gente não sabe dessas coisas porque não há muita divulgação, mas é só procurar na internet pra achar. Entrando mais a fundo nesse universo, vamos ver alguns mangás brasileiros que valem a pena conferir.
Vou começar falando de Mercenário$ ( HYPERLINK “http://www.mercs.com.br/” http://www.mercs.com.br) A história envolve guardiões, elfos, ladrões, reinos, mercenários (dã), e por aí vai. As HQs são divididas em três tipos: série, especial e pocket. Quatro “pessoas” diferentes formam um grupo de mercenários que fazem de tudo por dinheiro, mas também querem aproveitar a vida. Com um humor sarcástico, conseguiu conquistar os fãs. Vale lembrar que o grupo já apareceu no Holy Avengers, que é considerado um marco para os quadrinhos brasileiros. Petra Leão e Fran Briggs são quem escreve a história, enquanto Denise Akemi faz a arte e Claudia Medeiros fica com a capa. No site dá pra ver outras pessoas envolvidas. O mangá chegou a ser publicado pela editora Talismã. Infelizmente foi descontinuada por problemas autorais, mas dá pra ler online o que já foi feito.

A série é a saga principal, no estilo aventura, numa história envolvendo até conflito familiar.
Os especiais contam outra história, também de aventura, porém com mais humor.

Os pockets são pequenas tirinhas cômicas, sem ligação com as sagas. É um guia prático de como se tornar um mercenário, por assim dizer.

Agora falando do Digude ( HYPERLINK “http://zinedigude.blogspot.com.br/” http://zinedigude.blogspot.com.br). A história diz que a 4000 anos a.C., as almas de cinco animais lendários adormeceram dentro de cinco esferas, que se espalharam pela Terra. Daí surgiu um jogo muito famoso, o jogo das bolinhas de gude. O personagem principal é Di, um garoto que recebe um fragmento de um meteoro, o que dá a ele a capacidade de fazer uma jogada lendária com bolinhas de gude. Então ele começa a competir com outras pessoas. Dá pra ler um preview online de cada edição lançada, pela editora Tesouro Laser. Quem escreve e desenha tudo é Vinicius de Souza.

Uma empresa que merece destaque é o Studio Seasons, estúdio brasileiro especializado em mangá. A equipe já fez vários trabalhos oficiais. Há mangás disponíveis online também. Confira os três:

O primeiro é Laser Boy. Roteiro de Montserrat e arte de Sylvia Feer. A história se passa no ano 2057, onde humanos e myskawayhs vivem em conjunto, já que em 2027 a Terra se dizimou e os humanos foram salvos por esses seres alienígenas. Somos levados ao planeta Hochland, o planeta mais diversificado de todos, onde várias culturas vivem entre si. As coisas mudam quando o governante Tchar-Mak-Djar faz uma aposta com o humano Kelligan, onde seu filho vai aprender a governar tudo, senão ele sai do poder e Kelligan entra. O problema é que seu filho é o pior aluno do colégio de naves. E a história começa por aí, e aos poucos vai evoluindo, num tom bem humorado.

O segundo é Crônicas de Edo. Roteiro de Montserrat e arte de Simone Beatriz. A história se passa em 1771, em Edo, Japão. Nessa primeira história é sobre o samurai Kimura, que, durante sua viagem para Osaka, vai a um vilarejo onde ocorre um crime: cinco crianças haviam sumido. Ele então decide investigar. No Japão existe uma estátua que se dá o nome de tokuratou, representando a criança morta. É a partir dessas estátuas que o samurai vai em busca do misterioso assassino. Essas estátuas representam garotos de três anos. O clima é sério.

O terceiro é Contos de Sher Mor. Roteiro e arte de Montserrat. A história envolve elfos. Nessa primeira história há um mar chamado Su Na Tog, o Lago das Borboletas, onde quem nadar nele vira uma, ou seja, morre e volta no corpo de uma borboleta. Toda a história é sobre a passagem da vida pra morte e renascimento, tudo contado através de simples diálogos e uma pequena surpresa no final.
Agora vou falar do Mangá Pride ( HYPERLINK “http://www.mangapride.com.br/” http://www.mangapride.com.br/), grupo bem famoso. A revista que fazem possui, além das histórias, matérias de jogos, animes, etc. A edição zero (disponível online) reúne alguns one-shots, pequenas histórias feitas para caso façam sucesso se tornem uma série. Veja a seguir.

Angel X Demon nos mostra de um jeito humorado a tentativa de uma “demônia” fazer com que um anjo peque.

Super Fighting Heroes mostra a história do boxeador Spike em busca da vitória.

Inusitado fala sobre uma mulher que está num programa de amor mas não faz idéia do que está fazendo lá.

Mind Collegium fala sobre a chegada de um novo aluno a um dos colégios mais cobiçados do Rio.

Belial’s Contract é sobre o estudante Rafael conversando sobre sua situação escolar com sua amiga Bianca.

Black Lighting nos remete a um mundo devastado pela guerra, onde terroristas dominaram o mundo e podiam fazer o que quiser.

E agora, uma que também merece destaque, apresento-lhes a revista digital Nanquim ( HYPERLINK “http://www.digitalnanquim.com/” http://www.digitalnanquim.com/), que reúne várias histórias e já fez até parceria com a Mangá Pride. Há também outras matérias relacionadas ao Japão.Vamos conferir as histórias das duas primeiras edições, já que há séries e histórias únicas.

A primeira é Tools Challenge. Num universo, as pessoas nascem com ferramentas. A história é sobre Raion, que possui uma ferramenta da série ouro e por isso não pode ficar mais de 15 anos longe dela, senão ele morre. O problema é que ao nascer sua ferramenta foi roubada e ele está com 14 anos. Tudo parecia perdido até que ele descobre o Tools Challenge, um torneio ilegal, onde ele também descobre que o campeão está com a sua ferramenta. Uma história séria com muita luta e um toque de drama.
Pirates! conta pequenas histórias ‘aventurescas’ de uma pirata e sua tripulação, sempre com muito humor. Apesar de parecer tira, as histórias continuam uma a outra. Bem divertido.

Egoman, o Inofendível Herói. Douglas Santos era um garoto qualquer até que uma misteriosa nuvem o atinge com um relâmpago. A partir daí ele ganha o poder de ser imune a qualquer tipo de ofensa que os mortais sofrem. Logo na primeira história Egoman tem que enfrentar “grandes pesadelos”, como suportar uma banda de rock colorida e impedir um magnata que quer dominar o mundo através de fofoca. Diversão na certa, sempre com bom humor.

Blood Crystal. A Terra foi dividida em seis partes, sendo que cada parte possui um cristal que a deixa dentro de órbita. Para que nada ocorresse, seis guardiões decidiram proteger os cristais contra os seres da parte sombria. Tudo ia bem até que os seis cristais foram roubados. É então que os guardiões decidem ir atrás dos cristais. Há os momentos mais tranqüilos mas também há os momentos mais sérios.

Wild Busters. Dois garotos, Wild e Fox, querem ir para ElDourado, mas no caminho acabam indo para um vilarejo e matam um gigante. Sem saber de nada, eles são convidados pra um banquete. O problema é que tudo é uma armadilha pra matá-los. A história em si é bem humorada, até mesmo nas cenas de luta.

Best in Best!, história completa. Sara Colins é a melhor aluna do colégio, admirada pelos garotos e odiada pelas garotas. Lá ela acaba fazendo amizade com outros garotos, como o Mario. A história é de comédia e se aproveita pra criar momentos diversos, como o Mario caindo e puxando a saia da Sara e a Sara tentando matar o Mario com um robô gigante. Dizem que quem briga muito acaba… você sabe.

Gun Bounds, baseado num jogo, onde um garoto vai parar num mundo desconhecido e nem ele sabe o que está acontecendo.

Meu Personal Assassin Boyguard. Tomás é um garoto do ensino fundamental que sempre apanha no colégio. Ele decide ligar para um grupo de agentes que dizem resolver seu caso. De forma divertida e muito engraçada, a história mostra a tentativa de Tomás e a “agente” acharem os dois “valentões”, mas as coisas vão mudando aos poucos.

Amor Invisível. Dain Chan está no último ano do colegial e quer aproveitar, mas tem que aturar a sua irmã. Ele decide fazer uma aposta com outro garoto pra ver quem arranjaria uma namorada primeiro. O perdedor ia ter que sair com um garoto.

Meu Melhor Amigo É Um Super Vilão. A história fala de amigos do colégio que na verdade possuem identidades secretas, mas o problema é que um é vilão e a outra é heroína. Pra piorar, a heroína é fraca e nunca vence, contrariando a frase de que o bem sempre triunfa. As coisas ficam mais sérias após ambos serem raptados por um velho tarado, que quer a garota como futura esposa.

Algai. A muito tempo os deuses criaram o mundo Mohraiz, dando para cada ser vivente ali o dom da magia. O problema é que alguns começaram a usar para o mal. Um ser maligno chamado Nerdregos obteve a essência e nenhum deus pode vencê-lo. Então os deuses se uniram e conseguiram prende-lo até que alguém que fosse capaz surgisse para continuar a luta.

Há muitas outras histórias, cada edição traz novidades. Há uma inclusive, que está na edição 3, que esteve na edição zero do Mangá Pride, só que agora como uma série. É a do arrebatamento, onde um advogado dá a um estudante o direito de entrar no Paraíso, já que ele foi esquecido na Terra, mas pra isso precisa deixar que o diabo tome seu corpo e assim juntos invadam o Paraíso quando chegar a hora.

O termo mangá brasileiro não era pra gerar controvérsias, mas algumas pessoas simplesmente não aceitam que mangá é hq e que mangá também é um estilo de desenho. Enfim, não devemos ligar pra quem diz o contrário. Mangá brasileiro é a história em quadrinhos brasileira que segue os traços dos mangás, ou seja, uma história em quadrinhos feita no Brasil mas seguindo o estilo da história em quadrinhos feita no Japão.
Para terminar, não podia deixar de fora um clássico brasileiro. Apesar de não ser mangá, segue o estilo e merece participação nessa matéria: Turma da Mônica Jovem. Amada por várias pessoas e odiada por alguns, os gibis vendem bem e sempre trazem surpresas, numa versão adolescente da Turma da Mônica. Há diversos tipos de histórias, desde histórias de ficção a histórias do cotidiano, tudo sem perder aquele jeito da turminha. Claro, algumas coisas mudam, mas no fundo todos continuam sendo a turma. Durante essas várias edições, tivemos inúmeras referências a várias coisas, seja videogame, seja anime, seja jogo, seja personagem de algo, seja conto, seja o que for.

Quem se lembra aí a paródia de Death Note, que ficou “O Livro do Riso”, onde quem tivesse seu nome escrito no caderno tinha um ataque de riso? E o Anjinho dando uma de Sephiroth, ou melhor, Céufiroti? Independente das críticas, Maurício de Souza sempre buscou homenagear e fazer uma versão diferente. “Como seria se fosse com a Turma da Mônica”?

Há também o especial em duas edições que levou décadas para se concretizar, um crossover com os personagens de Osamu Tezuka, o pai do mangá, com os de Maurício de Souza. A idéia surgiu nos anos 70, mas engavetou nos anos 80 após a morte de Tezuka. A história mostrava o encontro de alguns personagens da Turma da Mônica, como a Mônica, o Cebolinha, a Magali, o Cascão, entre outros, com três grandes personagens de Tezuka: Astroboy, Safiri (de A Princesa e O Cavaleiro) e Kimba, o leão branco. A história abordava sobre o desmatamento e algumas outras coisas, mas sem ficar naquela monotonia educativa, tinha vários momentos e cada momento aproveitava a situação. Apesar de não ser uma história tão séria, o tema é, mas independente disso é uma aventura imperdível para os fãs.

Há muitos outros mangás brasileiros. Comente nos comentários quais você conhece. Espero ter aumentado a curiosidade e incentivado para que vocês leiam mangás brasileiros.

~Postagem originalmente publicada no portal Kokyo em 8 de janeiro de 2013~

Michiko to Hatchin – A visão japonesa do Brasil

Uma questão que gera algumas polêmicas é o ponto de vista dos países mundo afora em relação ao Brasil. Obras são feitas mas nunca mostram realmente como o Brasil realmente é, sempre exageram, seja pro bem seja pro mal. Mas deixando um pouco de lado, há uma obra que muitos ainda não conhecem: um anime chamado Michiko to Hatchin (Michiko e Hatchin em português), escrito por Takashi Ujita, dirigido Sayo Yamamoto (seu primeiro trabalho) e produzido pelo estúdio Manglobe, que também tem em seu currículo animes como Cowboy Bepop e Samurai Champloo. O anime estreou no fim de 2008 na TV Fuji. É um anime de comédia, drama, ação e aventura e possui 22 episódios.

A história conta sobre duas mulheres chamadas Michiko Malandro, que escapou da prisão, e Hana “Hatchin” Morenos, que foi salva por Michiko de seus padrastos malvados devido a abusos. Ambas buscam a liberdade e decidem ir atrás de um homem chamado Hiroshi Morenos, pai biológico de Hana e ex-amante de Michiko, para alcançar o que tanto querem, ao mesmo tempo que a polícia as perseguem. O local em que a história se passa é no país fictício Diamandra, só que esse país, que mistura os países da América Latina, se parece muito com o Brasil. Sim, um Brasil na visão dos japoneses, por assim dizer. E lembra demais mesmo.

A trilha sonora ficou por conta do músico brasileiro Alexandre Kassin, com produção de Shinichiro Watanabe. As músicas seguem o estilo brasileiro, como no início do primeiro episódio, onde toca uma música instrumental de samba. A música de abertura se chama Paraíso, do sexteto japonês de jazz Soil & “Pimp” Sessions, que lembra um pouco bossa nova. O início da música lembra demais o clássico brasileiro “Mais que Nada”, que tocou até no recente filme Rio. Apesar do encerramento ser em inglês, o último episódio possui um encerramento especial, com a música em português “Nada Pode Me Parar Agora”, de Kassin.

Logo na abertura já podemos perceber que há um foco de paisagem que lembram as favelas do Rio de Janeiro.  Há favelas, cidade grande e até mesmo lugares desertos, ou seja, é uma mistura de lugares do Brasil mas com foco no Rio, por assim dizer. No encerramento normal, percebe-se uma notícia em português colada num muro e também fotos de lugares mais “simples” do Brasil. No trailer 1 oficial do site do anime, também toca um instrumental que é nada mais nada menos que um samba. Há outras provas pra mostrar que podemos considerar o lugar como o Brasil, tudo espalhado durante o anime, como os orelhões e as calçadas com imagens arredondadas e onduladas. No site oficial podemos encontrar um mapa do Brasil onde podemos ver fotos reais de São Luis, Olinda, Recife, Barreiras e Rio de Janeiro.

Voltando rapidamente ao tema polêmico da imagem do Brasil ao mundo afora, o anime é considerado muito bom por quem assiste, recebendo grandes notas e críticas positivas, e dizem até que o Japão pegou o que nós falamos de ruim e fizeram uma história de qualidade. Não podemos reclamar, temos grandes filmes brasileiros assim, como Tropa de Elite e Cidade de Deus, que se aproveitam do lado negativo e fazem histórias de sucesso. Então fica a dica para quem sempre teve a curiosidade de como seria um anime do gênero.

~Postagem originalmente publicada no portal Kokyo em 19 de novembro de 2012~

Fã recria abertura de Sakura Card Captors em 3D

Um usuário no YouTube intitulado "Tomo Asks" recriou a primeira abertura do anime Sakura Card Captors em 3d utilizando o programa de modelagem Blender. Foram meses de trabalho pra um resultado incrível. A abertura ficou idêntica ao original, desde os personagens, passando pelo figurino, cenários, até os movimentos. Confira:

http://www.youtube.com/watch?v=PiR7KYIQv9U

Após a abertura, temos uma comparação em quatro etapas do processo de criação do vídeo.

Caso você tenha uma televisão 3d, existe uma versão em 3d também, para se ver com óculos 3d. Caso não tenha, o YouTube faz uma conversão automática pra ver com aquele óculos de papel vermelho e azul, embora o efeito não fique o mesmo. Segue o vídeo:

http://www.youtube.com/watch?v=0UzkdPAnGCY

O processo também pode ser visto de outro ângulo através desses vídeos:

http://www.youtube.com/watch?v=SbvYdnnOgec

http://www.youtube.com/watch?v=lrztknAwTCQ

~Postagem originalmente publicada no portal Kokyo em 15 de julho de 2014~

[KOKYO] Battle Royale (filme)



 Battle Royale (filme)


Atenção: Battle Royale é um filme de teor violento. Fica o aviso.

Battle Royale é um filme japonês de 2000 baseado no livro de mesmo nome, de 1999. Na história, 42 estudantes do nono ano de uma escola, na faixa dos 15-16 anos, são convocados para participar do Ato BR, feito pela Grande República do Leste Asiático (como um Japão ditatorial), que consiste em colocar todos esses estudantes para se matarem num local fechado. Na edição presente no filme, o local é uma pequena ilha. Com regras e objetos, eles tem que matar uns aos outros até restar um, antes que o tempo acabe.

A violência está presente em todo momento do filme. Logo no início, vemos o governo capturando os alunos. Ao chegar na ilha, as primeiras mortes começam a ocorrer. E isso antes do "jogo" começar!

Como expliquei na crítica do livro, há regras. Os estudantes recebem um kit de sobrevivência, onde contém um objeto que será a arma da pessoa. Pode ser desde uma pistola ou metralhadora a simplesmente um leque ou binóculo. Os estudantes também possuem um colar no pescoço, que rastreia seus movimentos e explode caso esteja num quadrante proibido. Sim, há quadrantes proibidos, que aumentam cada vez que o jogo continua. O tempo limite são de 3 dias para sobrar apenas um, caso contrário, todos morrem.

Como era de se esperar, adaptar mais de 600 páginas num filme de duas horas acabou deixando ele corrido demais. Para alguns, isso é ótimo. Para outros, nem tanto. Mas vou discutir isso depois.

As atuações estão na média. Por ter uma quantidade significativa de personagens, precisaram contratar diversos atores, a maioria novatos, o que rendeu algumas atuações boas, outras não. Os mais famosos ficaram nos papéis dos personagens principais. Tatsuya Fujiwara faz Shuya, o personagem principal da história, um estudante que não quer participar daquela loucura. O ator fez o papel de Light Yagami, de Death Note, e de Makoto Shishio, de Samurai X. Aki Maeda faz Noriko, a personagem delicada amiga de Shuya. A atriz fez o papel de Chise, de Saikano. Outro é Taro Yamamoto, que faz o papel de Shogo, misterioso estudante que havia sido transferido para aquela turma. Por fim, temos Takeshi Kitano, que interpreta o sensei Kitano, que cuida e organiza os jogos para aquela turma, em busca de vingança com o que aconteceu no passado. Há muitos outros personagens, mas falar de cada um deles demoraria, e muito.

Durante o filme, os três personagens se unem para buscar um meio de fugir da ilha, que é considerado impossível. Na verdade não só eles como muitos outros. Enquanto uns ficam na sua, matando todos, outros formam grupos, que se dividem em grupos que aceitam qualquer um, grupos que avaliam a pessoa antes de aceitar e grupos que não querem saber de mais ninguém. A mente humana é posto a prova em todo momento, afinal, ninguém é confiável e o estudante sabe que terá que matar o próprio amigo para sobreviver.

Por ser muito corrido, o filme não se aprofunda como deveria e as cenas se tornam puras cenas de massacres e sobrevivência, mas ao mesmo tempo não se rebaixa a algo gratuito, tendo todo um sentido para os acontecimentos. Algo visualmente atraente e terrível, com mortes e sangue para todos os lados. A ação é frenética, qualquer coisa pode acontecer a qualquer momento, qualquer um pode morrer, independente da suposta importância da pessoa para a trama, é difícil imaginar o que virá a seguir, é morte atrás de morte, perseguição atrás de perseguição, adrenalina pura.

O desenvolvimento é bem feito. Cada vez que o número de estudantes vivos diminui, as coisas tendem a ficarem mais sérias. Acaba seguindo fielmente algumas cenas do livro, já outras modifica algumas coisas devido a cortes, embora tenha mudanças desnecessárias.

O filme como filme, é ótimo. Possui defeitos, mas nem por isso deve ser ignorado. Para quem quer algo mais pesado, mas que ainda tenha um nível máximo de violência e que tenha sentido nas ações, é altamente recomendado. O filme como adaptação, é bom. O grande problema é a mudança da essência de alguns personagens (inclusive tem personagem que é trocado no filme por outro que não tem no livro). Todo o papo de política, revolta, música, amor e cotidiano somem e dão lugar a rápidas conversas e muita ação. De qualquer forma, Battle Royale é um filme que merece ser assistido.

Curiosidade: Quentin Tarantino, famoso por dirigir filmes como Kill Bill, Pulp Fiction, Cães de Aluguel e Sin City, elegeu, em 2009, o filme como o melhor que ele tinha visto. Embora seja algo em constante mudança, foi um marco que fez o filme se tornar mais famoso por aqui.

Nota: 9/10

~Crítica originalmente publicada no portal Kokyo em 12 de novembro de 2014~

[KOKYO] Battle Royale (livro)



 Battle Royale (livro)

Aviso: A crítica trata sobre um livro que, apesar de clássico, é considerado violento e polêmico (embora possamos desconsiderar [pelo menos em parte] essa 'polêmica' nos dias de hoje). Embora o livro evite pegar mais pesado em assuntos além de mortes de formas cruéis, a leitura do livro não é aconselhável a todos. A da crítica sim, para quem está curioso, não detalhei nada, então fiquem tranquilos que não tem nada de cabeça explodindo e miolos voando. Não aqui na crítica.

"Que isso? Jogos Vorazes japonês?", perguntam as pessoas que não fazem ideia do que é essa belezura. Não, Battle Royale foi escrito mais de uma década antes e deixou sua marca até antes de ser publicado. Nada de comparações, por favor (embora 99% das pessoas que leram as duas obras prefiram Battle Royale). Mas vamos prosseguir com a crítica.

Lançado em 1999 no Japão, Battle Royale é um livro de enorme sucesso (e polêmica) escrito por Koushin Takami. Com o sucesso, surgiram mangás e filmes. Os mais famosos foram lançados em 2000, que são adaptações do livro. São eles: Uma série em mangá, que totalizou 15 edições, encerrando em 2006 (mesmo ano que iniciaram as publicações no Brasil), e um live-action, que chegou a ser bastante elogiado por Quentin Tarantino em 2009 como 'o melhor filme que ele já tinha visto'.

Depois de lançados o mangá, em 2006, e o livro, em 2007, no Brasil, restava chegar o livro. E eis que em 2014 a Globo Livros realizou o sonho de muitos fãs e também de pessoas curiosas em relação a comparação com Jogos Vorazes, devido a pontos semelhantes, embora as obras sejam diferentes entre si (a Suzanne Collins jura que não se inspirou no livro, sequer leu). Que seja. Battle Royale é um tijolo, são 664 páginas de muita tensão, reflexão e violência. É uma mistura de gêneros incrível, temos ação, drama, romance, suspense, horror, entre outros, tudo em uma única história de tirar o fôlego.

Vale citar que em 1997, Koushin Takami já havia escrito Battle Royale e participou do Japan Grand Prix Horro Novel, mas foi desclassificado na final devido ao conteúdo polêmico da história. Mas afinal, o que tem de tão polêmico assim? Simples: Há adolescente se matando e o Japão é um país socialista totalitário. Se isso não bastasse, a violência é forte, embora Takami afirma que "pegou leve" se comparado a realidade.

O livro conta a história da turma B do nono ano da Escola Fundamental Shiroiwa da Província de Kagawa, que, com seus 42 estudantes, acaba sendo escolhida pela Grande República do Leste Asiático para o "Programa", o "Ato BR", onde um deve matar o outro até sobrar um único sobrevivente. Na história, a turma é posta numa ilha e cada um recebe um kit de sobrevivência, onde as armas podem variar absurdamente. Imagine comparar um papel com uma bazuca? É por aí. Mas prosseguindo. Pra piorar, os alunos possuem uma coleira presa ao pescoço, com um rastreador. Se tentar retirá-la, ela explode, matando o portador. E você acha que isso é tudo? Há ainda os quadrantes proibidos. Caso alguém esteja nele a partir da hora enunciada, o colar também explode. Mas espere, isso não é tudo. Os alunos tem 48 horas para se matarem até sobrar um, caso contrário, todos morrem. E se você acha que isso tudo já é demais, coitado, há mais, mas vou deixar para quem ler o livro descobrir.

O governo japonês do livro faz isso basicamente para "mostrar quem manda" e evitar que rebeldes surjam, mostrando uma matança entre adolescentes de 15 a 17 anos em geral, causando assim um enorme medo na população. E o Programa é o 'programa perfeito', tudo muito bem organizado para que não haja falhas. Ou seja, caso você esteja no nono ano, sua turma for escolhida e você parar no campo de batalha, é impossível escapar. Se quiser sobreviver, vai ter que matar seus amigos e colegas de classe.

Apesar da história mostrar o ponto de vista (em terceira pessoa) da maioria dos 42 estudantes, e apresentá-los um por um, uns mais outros menos, temos nossos personagens principais, que são três estudantes: Shuya, Shogo e Noriko. Shuya e Noriko são amigos, já Shogo é um misterioso aluno transferido. Eles acabam se unindo durante o jogo para sobreviverem juntos. Mas o livro não se prende apenas a eles. Como eu disse, os outros alunos tem seus momentos, o que nos ajuda a entender as motivações de cada um.

Devo avisar que o livro possui flashbacks sobre o passado dos personagens antes do 'jogo', que ajudam a entendê-los e são bons de ler em sua maioria. Entenda como algo positivo e bem utilizado. Em alguns casos, importante para a história.

A história já começa com os alunos indo para a ilha, porém, para eles, eles estão apenas num passeio escolar, até que o ônibus é 'atacado' e eles acordam numa sala onde um representante do governo nos jogos explica a situação e as regras. Esse primeiro momento pode ser cansativo para alguns, já que o livro começa a explicar os personagens, contar suas histórias, etc. Confesso que me entediei um pouco em alguns momentos, mas é passageiro (com perdão do trocadilho aos estudantes no ônibus). Depois que eles são capturados, as coisas melhoram. Quando o jogo começa, melhora mais ainda.

A cena da explicação do jogo já mostra o potencial da loucura que o ser humano pode ir e o nível da violência que tem a oferecer. É coisa de doido, só lendo mesmo. Passada as explicações e as confusões, o jogo tem início. 'É aí que o bicho pega', com os estudantes correndo para a floresta desesperados e sem acreditar no que está acontecendo. Muitos vão logo conferir suas armas, desde armas de fogo a simples objetos.

Além da introdução, do prólogo e do epílogo, a história é dividida em 4 partes. A primeira apresenta os nomes dos personagens, explica as regras do jogo e mostra as primeiras mortes, no meio ao caos. A segunda mostra as mortes que ocorrem logo depois, quando os alunos já estão começando a se adaptar a situação. A terceira mostra as últimas mortes, quando poucos restaram. A quarta encerra a história, e prefiro não comentar muito sobre o final, vou deixar para quem ler tirar suas conclusões. Sim, o final agrada e surpreende.

Além das surpreendentes e violentas cenas de luta, que são muitas, o livro também possui bastante diálogo. Bastante mesmo. Porém não pense como algo ruim. Assim como os flashbacks funcionam em sua maioria, os diálogos são ótimos tanto para 'passar o tempo' quanto para entender o ponto de vista dos personagens. Há momentos em que eles estão conversando sobre o jogo, sobre política, sobre o futuro, sobre música, sobre amizade, sobre o passado, sobre amor, sobre tudo que pessoas normais conversariam. Os personagens podem até soar maduros para suas idades, mas isso não se torna estranho no contexto. E tenho que admitir: Takami soube fazer diálogos bastante envolventes. Dá pra perceber claramente o que o personagem está sentindo no momento e sua visão sobre o temas. Bons diálogos, boas cenas de luta, boa história. O que mais poderia pedir?

O foco aqui é a sobrevivência. Até onde o ser humano pode ir para sobreviver numa situação como essa? Pra que formar amizades se no fim só pode restar um? Como confiar em alguém se todo mundo é suspeito, incluindo seu amigo? O que acontece com a cabeça de alguém que não resiste psicologicamente a situação? São perguntas que o livro tenta responder. A violência é totalmente aceita e se encaixa perfeitamente na história, não é algo apenas para divertir o leitor de qualquer forma, tem uma essência mais profunda, tem um sentido, uma lógica por trás dos atos, concordando ou não com ela.

Battle Royale é uma história inesquecível, com acontecimentos inesperados onde qualquer um pode morrer a qualquer momento, até mesmo aquele personagem que a história está acompanhando passo a passo. O virar da folha se torna emocionante e cada morte impactante. Abordando temas sobre cotidiano, humanidade e política, Battle Royale se tornou um clássico que deve ser lido com cuidado. Sua violência é justificável e tenta responder as dúvidas que muitos já se perguntaram sobre sobrevivência. Fica a dica de um dos melhores livros já escrito e que merece mais reconhecimento.

Resta citar que a edição brasileira do livro é toda trabalhada. Há detalhes em alto relevo por todo o lado de fora do livro e nas 'orelhas'. Há também, atrás da capa e contra-capa, o mapa da ilha com a listagem de quadrantes proibidos e suas respectivas horas. Antes da história, temos uma lsta de chamada dos estudantes, uma citação de um livro do George Orwell, algumas frases diversas e a melhor dedicação que um livro poderia ter: "Dedico este livro a todas as pessoas que amo. Embora duvide que elas me agradeçam por isso". Simplesmente incrível. E se você que não leu o livro não estiver convencido de que é bom, no lugar da sinopse da edição brasileira tem Stephen King aprovando o livro. Se você não sabe quem é, favor procurar o Google mais próximo e se atualizar já. No fim, Battle Royale é o que há, e ninguém vai substituir sua marca deixada no mundo.

~Crítica originalmente publicada no portal Kokyo em 10 de novembro de 2014~

Sobre Mim

Minha foto
Duque de Caxias, Rio de Janeiro, Brazil
Formado em jornalismo e futuro escritor de livros. Colunista de cultura pop. Cinema, quadrinhos, k-pop. O blog surgiu em 2008 com a proposta de reunir o que eu achava de interessante pela internet e evoluiu até se tornar algo mais original. Atualmente serve como um local de divulgação de links de matérias que escrevo para outros sites, rascunhos e alguns textos aleatórios.